6 dicas sobre aleitamento materno

Amamentar é um momento de vínculo maravilhoso entre a mamãe e o bebê. Durante a amamentação são produzidos hormônios relacionados com a sensação de prazer e bem-estar, como a ocitocina, também conhecida como hormônio do amor.

Além dos benefícios afetivos, a amamentação é de extrema importância para a saúde do bebê e da mulher. Crianças que mamam no peito têm menos infecções e reações alérgicas. Não por acaso, o Ministério da Saúde recomenda que o leite materno seja o alimento exclusivo da criança até os seis meses de vida. E, se possível, que seja mantido até os dois anos, complementando a alimentação. Para as mamães, a amamentação é uma importante defesa contra o câncer de mama.

Neste post, trazemos algumas dicas sobre o aleitamento materno para ajudá-la a aproveitar ao máximo esse momento único com seu bebê.

1. Preparo das mamas durante a gestação

O cuidado mais importante com as mamas durante a gravidez é quanto ao uso de sutiãs adequados para dar sustentação ao aumento de volume dos seios. A lingerie ideal para gestantes é aquela que abraça toda a mama, com alças mais largas e confortáveis.

2. Cuidados com cremes e óleos antiestrias

Os cremes e óleos usados para a prevenção de estrias não devem ser passados nos mamilos, pois podem deixá-los mais sensíveis e propensos a fissuras quando o bebê estiver aprendendo a mamar. O uso de buchas vegetais, muito difundidas anos atrás, não é mais recomendável, pelo mesmo motivo.

3. Banho de sol para fortalecer as mamas

Tomar banho de sol nas mamas nuas, por cinco a dez minutos diariamente, também ajuda a fortalecer a pele dos seios, em especial os mamilos e aréola, e evitar as lesões. Durante a amamentação, caso as feridas apareçam, o banho de sol é o melhor remédio para a cicatrização. Seu médico também poderá indicar algumas pomadas para esse fim.

4. Cuidados com a pega correta

Ainda na maternidade você será orientada quanto à pega correta da mama para a amamentação. Não saia com dúvidas! A boquinha do bebê deve pegar toda a aréola do seio e não apenas o bico. A parte superior do lábio do bebê não ficará visível, mas a parte inferior deve fazer um biquinho. O bebê faz a sucção empurrando a mama com a língua — por isso não há risco de machucar, mesmo quando os primeiros dentinhos aparecem.

Se você perceber que o bebê está sugando apenas o bico do peito, use seu dedo mindinho para fazê-lo soltar a mama e leve novamente a cabeça dele até o peito, estimulando que ele abra bem a boca para pegar a maior parte possível da aréola. Quando a pega está correta não há dor.

5. Como tratar mamas “empedradas”

Algumas mulheres podem ter uma produção tão grande de leite que as mamas ficam “empedradas”, ou seja, formam-se nódulos doloridos devido ao excesso de leite. Nessa condição, o bebê tem mais dificuldade para conseguir sugar o leite e é necessário esvaziar um pouco a mama para ajudá-lo e para reduzir as dores e desconfortos para a mamãe.

Para aliviar esse efeito, faça compressas de água fria nas mamas. Não use água quente, pois o calor estimula a produção de leite e pode piorar o problema. Ao tomar banho, evite deixar água quente cair nas mamas, para evitar esse efeito.

Para desfazer os nódulos, massageie cada uma das “pedrinhas” com movimentos circulares, sempre no sentido do bico para a base da mama.

6. Como tirar o leite

Para esvaziar os seios — seja nos casos de empedramento, para armazenar o leite ou ainda fazer uma doação ao banco de leite — faça um movimento de pinça com o polegar na parte superior da mama e com os dedos indicador e médio na parte inferior. Faça o movimento de empurrar para frente, lembrando sempre que seus dedos devem ser posicionados como a boquinha do bebê: na aréola e não no bico.

O leite materno pode ser armazenado durante 12 horas na geladeira e até 15 dias no congelador. Você deve esterilizar o pote onde colocará o leite com água fervente durante 15 minutos.

Gostou das nossas dicas sobre o aleitamento materno? Então compartilhe este artigo com seus amigos nas redes sociais!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *